Programa gaúcho de microcrédito já beneficiou 34 mil pessoas no RS

Millene da Silva Gonçalves, de 20 anos, inaugurou em abril deste ano seu próprio negócio. A moça abriu uma casa de chás no Bairro Restinga, em Porto Alegre, e boa parte do investimento foi feito por meio de microcrédito. Há seis anos, ela produz doces e salgados por encomendas. Para prestar um melhor atendimento aos clientes, a jovem resolveu montar na garagem da casa da família um espaço de degustação.

Programa Gaúcho de Microcrédito

“O que ainda não eram fregueses começaram a frequentar para experimentar meus doces e salgados. Percebi que poderia montar uma casa de chá. Com isso, consegui atender meus antigos clientes e conquistar novos. Mas eu precisava organizar e mobiliar o espaço disponível”, conta Millene ao G1.

Por meio do Programa Gaúcho de Microcrédito, coordenado pela Secretaria da Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa do Rio Grande do Sul (Sesampe),  Millene investiu R$ 4 mil na compra de mesas, cadeiras e louças para equipar sua casa de chá. O empréstimo feito em dezembro de 2012 foi dividido em 15 parcelas e proporcionou a abertura do estabelecimento.

Millene é uma das 34 mil pessoas que foram beneficiadas nos dois anos de existência do programa. Ao todo já foram concedidos mais R$ 235 milhões para empreendimentos formais e informais nas áreas de indústria, comércio, serviço e rural.

Como conseguir empréstimo via microcrédito no Rio Grande do Sul

Criado em 2011, o programa tem a finalidade de fortalecer e ampliar o microcrédito no estado. Para isso, ele funciona através de parcerias com instituições financeiras, agentes de intermediação (AGIs) e instituições de microcrédito (IMs), na intermediação de recursos e operacionalização de uma variedade de empréstimos direcionados a um público restrito (empreendedores formais e informais, pessoas físicas e jurídicas), definido por sua baixa renda ou pelo seu ramo de negócios, que usualmente não tem acesso às formas convencionais de crédito.

Conforme o secretário da Sesampe, pasta responsável pelo programa, Maurício Alexandre Dziedricki, o programa tem hoje uma abrangência que atende 402 municípios gaúchos, o que mostra que o acesso ao microcrédito só tende a aumentar.

“Nossa taxa de inadimplência foi de menos de 0,5 pontos percentuais nestes dois primeiros anos de programa. Algo que nos bancos gira em torno de 8% na carteira. Isso prova que investir no micro e pequeno empreendedor é uma estratégia acertada. Segundo dados da Associação Brasileira de Entidades Operadoras de Microcrédito e Microfinanças (Abcred), o Rio Grande do Sul é referência nacional pois temos um fundo garantidor forte”, diz.

Programa Gaúcho de Microcrédito

O microcrédito gaúcho oferece financiamentos que variam de R$ 100 a R$ 15 mil para pagamento em até 24 vezes e juros de 0,41% ao mês. Os recursos disponibilizados são garantidos pelo Fundo de Apoio à Micro Empresa, ao Microprodutor Rural e Empresa de Pequeno Porte (Funamep). O tomador do empréstimo recebe o recurso e assistência técnica. O programa conta com a figura do Agente de Oportunidade, que é o responsável pela seleção, acompanhamento e fiscalização junto ao tomador final.

Das 34 mil pessoas atendidas pelo Programa Gaúcho de Microcrédito até o momento, 52% são homens e 48% são mulheres. A média de idade varia dos 18 aos 38 anos. Ao todo existem cerca de 300 pontos de atendimento do programa, que possui 45 instituições vinculadas a Rede Gaúcha de Microcrédito.

Para saber como obter um empréstimo através do Programa Gaúcho de Microcrédito basta acessar o site do projeto para saber mais informações sobre as instituições credenciadas por região.